15/02/2017 – Jornal O Nacional: Conselho Regional de Medicina Veterinária inaugura secretaria regional em Passo Fundo

JORNAL O NACIONAL | ONLINE

A partir de hoje, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS passa a contar com uma sede própria em Passo Fundo. A estrutura da secretaria regional será responsável pelo atendimento de 68 municípios da região norte do Estado, que inclui cerca de 800 profissionais e aproximadamente 350 estabelecimentos credenciados no Conselho Regional. A inauguração do espaço, localizado na rua Teixeira Soares, 1075, sala 804, acontece às 9h.

“Trata-se de um importante polo para a Medicina Veterinária e Zootecnia no estado, que conta com uma forte produção agropecuária e também com grandes centros urbanos” diz o presidente do Conselho, Rodrigo Lorenzoni. A instalação da sede, segundo ele, além de evitar o deslocamento de profissionais até Porto Alegre, para encaminhado de alguns serviços, vai agilizar o setor de fiscalização e atendimento de denúncias. “Todos os serviços serão feitos aqui, como registro de empresa, registro de profissional. Também teremos mais agilidade para atendimento de denúncias, como falta de estrutura de clínicas, atos de negligência de profissionais, entre outros” explica. Em todo o Rio Grande do Sul, o Conselho conta com cinco secretarias regionais localizadas. Além de Passo Fundo, em Santa Maria, Pelotas, Santana do Livramento e Caxias do Sul.

Formação presencial

Preocupando com a formação do futuro profissional, o Conselho está empenhado em incluir a Medicina Veterinária na lista de cursos habilitados exclusivamente na modalidade presencial. Rodrigo Lorenzoni, protocolou, no dia 9 deste mês, no Ministério da Educação em Brasília, uma petição com mais de 21 mil assinaturas reforçando este pedido. O mesmo documento foi entregue em mãos para o Ministro da Educação, Mendonça Filho. “O ministro se demonstrou sensível ao nosso pleito e prometeu acompanhar pessoalmente este assunto. Vamos ficar atentos e cobrar essa postura”, afirma o presidente do CRMV.

Atualmente, o decreto que regulamenta o ensino à distância no país prevê que os cursos de Medicina, Odontologia e Psicologia tenham a autorização mediante aprovação no Conselho Nacional da Saúde e o de Direito pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. “Queremos que a graduação em Medicina Veterinária esteja neste grupo, pois é um curso com alta carga de disciplinas práticas e que requerem a interação aluno-professor-ambiente de ensino presencialmente”, pontua Rodrigo Lorenzoni. Hoje, para os demais cursos, basta um credenciamento da universidade junto ao MEC para ensino à distância.
Além de pedir a alteração do decreto 5622/2005 junto ao Ministério da Educação, o CRMV-RS também está propondo uma via legislativa que pode ter dois caminhos. Ou propor um projeto de lei que proíba cursos de Medicina Veterinária EAD ou um PL que autorize os Conselhos a emitirem registro apenas para quem cursou a faculdade presencial. “Estamos buscando informações sobre a constitucionalidade destes pleitos, e vamos buscar o apoio de todos os parlamentares no entendimento de que a Medicina Veterinária lida com vidas humanas e animais”, conclui.

Clique aqui para ver a matéria na página.